Inseminação Intra-Uterina (IIU)

A inseminação intra-uterina, também, é uma técnica de Reprodução Humana de baixa complexidade. A condição básica para realização da inseminação é que as tubas uterinas sejam permeáveis. Isto é, com passagem de contraste durante a realização da histerossalpingografia ou laparoscopia elas estejam normais, e que o marido tenha contagem normal de espermatozóides, ou ligeiramente diminuída.

Mulheres que tem problemas para ovular também podem se beneficiar desta técnica, porque são usados medicamentos que estimulam a ovulação. Mulheres com endometriose leve em muitos casos se beneficiam do uso da Inseminação, principalmente depois de realizada vídeo laparoscopia com técnicas de Reprodução Humana, em que as lesões são retiradas totalmente e não são submetidas somente a cauterização.

Casais que tem abortamentos de repetição e que após a investigação e proposição do tratamento adequado estão com dificuldades em conseguir uma nova gestação. A inseminação intra-útero é a colocação de espermatozóides previamente preparados dentro da cavidade uterina (o preparo chama-se processamento seminal). Habitualmente a mulher também é preparada, fazendo uso de medicação que estimula a maturação de 1 a 3 óvulos e a liberação destes, que é a ovulação, conseguida após a aplicação de medicamentos. A coleta do sêmen é feita habitualmente com masturbação na clínica, em uma sala especialmente preparada para este fim, para conseguir a melhor coleta. Após a inseminação a mulher poderá ter vida normal.

Aldair Fernando
Serviços
Publicado em 12/06/2013 18h37